Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Artistas

Que tal viver de arte na Irlanda?

Andre Luis Cia postou em 07 set 2016

artistas

Uma das cenas mais comuns em Dublin ao andar pelas ruas da cidade, é encontrar artistas de rua/ Créditos: Shutterstock

Viver de arte, daquele desejo que pulsa mais forte do que qualquer coisa dentro de nós, que nos motiva a lutar todos os dias para a concretização deste sonho… Utopia? Para muitos, sim, mas não para um grupo de artistas brasileiros que decidiu se arriscar fora do país mostrando o seu talento para o mundo.

Em Dublin, não é raro andar pelas ruas da cidade e encontrar pessoas de diferentes nacionalidades trabalhando. São cantores, dançarinos, estátuas vivas, pintores, dentre outros artistas. E o mais interessante é que não há disputa por espaços, pois cada artista encontra seu público, e é valorizado pelo trabalho. As tips (gorjetas, em inglês), são boas e ajudam a custear, muitas vezes, grande parte da despesa deles no exterior.

artistas2

O talento de cinco artistas de rua, ou melhor, estátuas vivas, desperta a atenção de quem passa pela Grafton Street todos os dias./ Créditos: Shutterstock

Como buscar a legalização para trabalhar nas ruas

Mas não basta ter talento e achar que pode trabalhar em qualquer lugar sem pedir autorização. Para tocar nas ruas de Dublin, você precisará se dirigir ao Dublin City Council e solicitar a licença para busker. É necessário apenas enviar uma foto e a cópia do passaporte para o e-mail deles, além de pagar uma taxa de 60 euros. A licença é válida por um ano.

E não esqueça de respeitar as regras. Segundo o Dublin City Council, na Grafton Street, por exemplo, o artista pode se apresentar no máximo por 1 hora. Já na Henry Street, o tempo máximo é de 2 horas. No Temple Bar, o uso de amplificador é proibido. As “backing tracks”, faixas instrumentais usadas como base por alguns artistas, também não são autorizadas.

Os artistas que descumprirem qualquer uma das regras estará sujeito à multas, além de perder a autorização.

Intercâmbio com música

Aos 21 anos, a gaúcha Nathália Röpke desembarcou em Dublin, com o coração aberto para viver intensamente todos os momentos do seu intercâmbio, sem nem mesmo imaginar que com a mudança de país, ela poderia mostrar sua grande paixão, a música, não mais somente para brasileiros, mas para turistas do mundo todo.

11988433_1075704579114552_6429253958774085584_n

Nathália vive de sua grande paixão: a música. Arquivo Pessoal

A vinda para Dublin aconteceu por influência do namorado, Matheus, um português de nascimento, mas brasileiro de coração – já que se mudou para o Brasil aos seis meses de idade. Foi lá que se conheceram, começaram a namorar e ele a convenceu a fazer intercâmbio. Quando chegou na Irlanda, tinha na bagagem apenas um violão, mas bastou a primeira ida às ruas para sentir que seria possível trabalhar com música na Ilha Esmeralda. No seu primeiro dia, conseguiu levantar um bom valor de gorjetas, o que lhe ajudou a comprar equipamentos de trabalho. Desde então, não parou mais. A cada dia toca em um lugar diferente da cidade e tem recebido muitos convites para eventos.

Nathália ressalta que o mais interessante é que grande parte do seu público é estrangeiro e não reconhece o idioma que ela canta, no caso, o português, mesmo assim, param para ouvi-la e parabenizá-la. Junto com o namorado, estão trabalhando numa música própria – composição de Matheus e melodia dela. Eles também já conseguiram uma gravadora que lançará o seu primeiro CD. Sobre o futuro, ela diz que sonha em levar sua música e seu talento para diversas partes do mundo.

E para sentir a atmosfera dos artistas de rua na Irlanda basta apertar o play!

Sobre o Autor


Jornalista com pós-graduação em Roteiro para TV e Cinema, é autor do livro Desejo de viver, que conta a história de luta, superação e de amor à vida de Eliete Gandolfi Cia, sua mãe, falecida em2015. Profissional com 18 anos de experiência na área de comunicação, incluindo a idealização, produção e escrita de duas séries de jornalismo internacional: sonho americano e sonho italiano, e atuação em diferentes veículos de mídia do Brasil, como redações de jornais impressos, assessorias de imprensa e TV, dentre outros.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Agenda Cultural

10 eventos imperdíveis na Irlanda em agosto

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
E-Dublin TV

Como foi o E-Dublin PRO

3 semanas atrás, por Mah Marra
Mercado

Irlanda têm vagas para biotécnicos e químicos

4 semanas atrás, por Deby Pimentel
E-Dublin TV

Como é o mercado de trabalho na Irlanda

4 semanas atrás, por Edu Giansante
Economia

Entenda os impostos que pagamos na Irlanda

1 mês atrás, por Elizabeth Gonçalves