Reino Unido endurece regras para trabalhadores imigrantes

Reino Unido endurece regras para trabalhadores imigrantes

Rubinho Vitti

6 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Trabalhar no Reino Unido a partir de 2021 vai ser mais difícil para quem não tem inglês fluente e boa qualificação. Os britânicos pretendem afivelar as fronteiras como parte da revisão de leis de imigração pós-Brexit. Estrangeiros com inglês mais fraco — e que atuavam geralmente em restaurantes, hotéis e fábricas, por exemplo — deverão ter mais dificuldade para se manter na Grã-Bretanha.

Quer saber tudo sobre como trabalhar na Europa? Participe do E-Dublin XP, o maior evento sobre a Irlanda realizado no Brasil, que acontece no dia 14 de março, das 9h às 18h, no Centro de Convenções do Senac Santo Amaro, próximo à estação Jurubatuba da Linha 9 da CPTM, na zona sul de São Paulo. As inscrições para participar estão no último lote.

Conseguir empregos em áreas de hoteis e restaurantes, por exemplo, será mais difícil para imigrantes sem alto nível de inglês. Foto: Bimo Luki on Unsplash

O governo britânico visa implantar um “sistema de pontos” até 1º de janeiro de 2021. A ideia é assumir “controle total” das fronteiras britânicas “pela primeira vez em décadas”, segundo documento publicado nesta semana no site oficial do governo do Reino Unido. Segundo afirma a publicação, o sistema será “firme e justo” e vai atrair “trabalhadores altamente qualificados”, resultando em melhores salários, “alta habilidade” e “alta economia de produtividade”.

Os candidatos que desejam morar e trabalhar no Reino Unido – cidadãos da UE e de fora da UE – precisarão ter 70 pontos dentro de uma série de regras para poder ter a autorização do governo.

Entre os itens para conseguir pontos estão possuir uma oferta de emprego de uma empresa autorizada, falar inglês até um certo nível e limite salarial de 25.600 libras ao ano.

Porém, se um candidato tiver uma oferta de emprego por menos que 20.480 libras ele ainda poderá trabalhar no Reino Unido em uma ocupação que apareça na “lista de carências do governo”. Essa lista é como as “critical skills” existes na Irlanda.

“É importante que os empregadores se afastem da dependência do sistema de imigração do Reino Unido como uma alternativa ao investimento em retenção de funcionários, produtividade e maior investimento em tecnologia e automação”, diz o documento.

Estudantes que visam fazer intercâmbio no Reino Unido vão precisar provar que têm uma oferta de uma instituição educacional aprovada, sabem falar inglês e podem se sustentar durante seus estudos no Reino Unido. Visitantes, incluindo cidadãos da UE, poderão vir ao Reino Unido sem visto por seis meses, mas não poderão trabalhar.

Leia também: Como o Brexit pode afetar o intercâmbio de brasileiros

As novas regras podem atingir mais de 3 milhões de trabalhadores europeus que hoje atuam no Reino Unido em empregos de baixa qualificação. Também pode levar 90 mil estrangeiros a sair da Europa. Segundo publicou o jornal Irish Times, a Irlanda do Norte, que atualmente já enfrenta uma crise de falta de mão de obra, teme perder mais trabalhadores com as novas regras.

Veja também

Tipos de vistos para Portugal: Turismo, trabalho, estudos

Rubinho Vitti
Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar