Saiba como funciona o seguro-viagem para Dublin

Saiba como funciona o seguro-viagem para Dublin

Elizabeth Gonçalves

6 meses atrás

EDUBLIN.PRO - Matrículas abertas até 17/07!

Transforme sua vida profissional e alcance sua carreira no exterior!

Nos últimos anos, Dublin tem se tornado um popular destino para estudantes internacionais que querem aprimorar o inglês e passar uma temporada na Europa.

Entretanto, na hora de fechar o intercâmbio, uma das principais dúvidas dos estudantes está relacionada ao seguro-viagem para Dublin. Afinal, é necessário ou não contratar um seguro para estudar na capital irlandesa?

É importante contratar seguro-viagem para visitar Dublin. Foto: Attila Tatár | Dreamstime

Apesar de não fazer parte do Tratado de Schengen, onde o seguro-viagem é obrigatório, ao embarcar para um período de estudos em Dublin, com o seguro-viagem na bagagem você estará protegido caso algum contratempo aconteça.

Ou seja, com o seguro-viagem em mãos você terá a garantia de que vai receber atendimento hospitalar e de emergência em caso um problema de saúde ou acidente.

Outra vantagem do seguro é a assistência para outros imprevistos que podem rolar durante a sua viagem. Perda de documentos, roubo, bagagem extraviada são apenas alguns exemplos. É justamente por esses motivos que vale considerar a contratação de um seguro-viagem antes de colocar os pés no avião. Dessa forma, você estará tranquilo e preparado para qualquer inconveniência que apareça no seu caminho.

O seguro-viagem para Dublin é obrigatório ou não?

Como mencionamos, a Irlanda não é membro do Tratado de Schengen. Assim, a contratação do seguro-viagem para visitar o país não é um requerimento obrigatório. Entretanto, há uma exceção: estudantes que pretendem passar mais de 90 dias no país. Nesse caso, o estudante precisa contratar um seguro privado ou governamental para se registrar na imigração.

Apesar de a apólice não ser obrigatória para quem vai passar até 90 dias no país, a contratação do seguro-viagem é altamente recomendada. Afinal, tenha em mente que imprevistos podem acontecer com qualquer pessoa. Portanto, nada melhor do que estar prevenido, não é mesmo?

Sem falar que os custos com atendimento médico emergenciais nos hospitais irlandeses são extremamente caros, principalmente para estrangeiros. Com o seguro-viagem você não precisará se preocupar com tais custos caso algo aconteça.

Qual a cobertura ideal para Dublin?

Cheque a cobertura oferecida pela operadora de seguro antes de comprar. Foto: Engdao Wichitpunya | Dreamstime

Ao contratar um seguro-viagem para a sua visita a Dublin é essencial que a sua apólice cubra alguns itens básicos, por exemplo: despesas médicas, hospitalares e odontológicas; regresso sanitário; traslado de corpo; traslado médico; seguro por morte acidental e seguro de invalidez permanente por acidente.

Vale também contratar planos que tenham cobertura médica de a partir de 35 mil euros, já que despesas desse tipo são extremamente caras na Irlanda.

Na hora de contratar o seu plano também verifique quais coberturas extras são oferecidas pela apólice. Em algumas estão inclusos serviços como cobertura em caso de roubo ou furto, seguro de bagagem extraviada, cancelamento de viagem, etc.

Quanto custa o seguro-viagem para Dublin?

Assim como para qualquer outro destino, o preço do seguro-viagem para Dublin vai variar de acordo com a duração da sua viagem, idade, além do tipo de cobertura escolhida.

Para ter uma ideia de preços, fizemos uma simulação de viagem do dia 1ª a 6 de março, no portal da Seguros Promo. Confira os valores e principais benefícios:

Plano AC 35 Europa + Telemedicina

Despesa Médica Hospitalar Total – Euro 35.000

Cobertura Odontológica – Euro 500

Cobertura farmacêutica (por reembolso) – Euro 500

Fisioterapia – Não

Gastos Por Atraso do Voo – Euro 100 (6 horas)

Seguro de Bagagem Extraviada – Euro 1200

Affinity 60 Mundo (Exceto EUA)

Despesa Médica Hospitalar Total – USD 60.000

Cobertura Odontológica – USD 800

Cobertura farmacêutica (por reembolso) – USD 800

Fisioterapia – USD 600

Gastos Por Atraso do Voo – USD 300 (6 horas)

Seguro de Bagagem Extraviada – USD 1200

ITA 60 Smart Inter

Despesa Médica Hospitalar Total – USD 60.000

Cobertura Odontológica – USD 200

Cobertura farmacêutica (por reembolso) – USD 250

Fisioterapia – USD 250

Gastos Por Atraso do Voo – USD 200 (6 horas)

Seguro de Bagagem Extraviada – USD 1000

Como contratar o seu seguro-viagem

Após fazer a comparação de preços e serviços e identificar qual o melhor seguro para a sua viagem a Dublin, você pode adquirir a sua apólice em poucos minutos pela internet e efetuar o pagamento com cartão de crédito. Feito isso, você receberá a sua apólice por e-mail em poucos minutos.

Na apólice do seguro constam dados como os números de telefone que você pode contatar em caso de emergência, além de todas as informações da cobertura do seu plano.

Seguro-viagem x seguro governamental

Quando se trata da estadia na Irlanda, ter o seguro governamental é obrigatório para estudantes que ficarão por mais de 90 dias no país. Portanto, se você está vindo estudar na Irlanda, o seu seguro-viagem adquirido no Brasil não é aceito pela imigração.

O seguro governamental é um seguro que permite aos estudantes terem direito ao atendimento público de saúde da Irlanda. Geralmente, as escolas escolhidas para fazer o intercâmbio auxiliam os intercambistas a respeito desse assunto.

Vale lembrar que, mesmo o governo obrigando os estudantes a terem o seguro governamental para ter acesso à saúde pública, esse seguro é limitado e funciona mais em caso de emergências. Ou seja, para a realização de consultas rotineiras com o clínico geral ou realização de exames, o estudante tem que bancar com o custo extra do próprio bolso.

Outro fator importante a ser ressaltado é que o seguro governamental vale apenas para a Irlanda. Portanto, se você aproveitar o seu intercâmbio para visitar outros países ao redor da Europa, esse seguro não vai cobrir demais eventualidades, mesmo se acontecer alguma coisa no caminho de ida ou volta do país.

Com relação ao preço, o seguro governamental custa em torno de 150 euros. Ele pode ser adquirido com as agências de intercâmbio ou, no caso da compra sem agência, diretamente na escola que oferece o curso.

Seguro privado irlandês

Plano de saúde irlandês é bem diferente do brasileiro. Foto: Andrii Yalanskyi | Dreamstime

Em 2011, no caso de visto de estudante, o governo passou a aceitar também qualquer plano de saúde privado, desde que a sede da empresa fornecedora do serviço esteja situada na Irlanda.

Esse plano precisa ter  cobertura de 25 mil euros em casos de acidentes e doenças durante o período de validade do visto e dar cobertura ilimitada em caso de internação hospitalar.

Os estudantes são fortemente aconselhados a providenciar seguro para atendimento médico privado, pois isso garante a escolha do hospital, médico e acomodação do hospital em caso de doença.

Observe que você só pode contratar seguro de saúde com um provedor de seguro de saúde irlandês quando estiver morando na Irlanda.

Entre as empresas que oferecem esse tipo de serviço na Irlanda estão Irish Life Health, VHI Healthcare, GloHealth Insurance, entre outras.

Entretanto, fique atento, pois tais planos de saúde são bem diferentes daqueles a que estamos acostumados no Brasil, já que a maioria deles não oferece consulta gratuita ao clínico geral, por exemplo, dando direito apenas a consultas online ou por telefone.

Outro detalhe é que alguns procedimentos, como exames, por exemplo, podem estar sujeitos a taxas extras. Assim, antes de contratar o seu, vale ler atentamente toda a cobertura oferecida pela empresa para não se decepcionar depois.

Três casos onde o seguro governamental não foi suficiente

Milena Rodrigues — Seguro: Intermac Assistance

“No meu primeiro ano de Irlanda, eu vim com seguro particular. Só utilizei quando estava próximo de completar um ano, pois tive um torcicolo e precisei ir a um especialista. O atendimento do seguro foi um pouco complicado, mas deu tudo certo.

Liguei para a central no Brasil, eles me retornaram e me encaminharam para a clínica mais próxima, que, no meu caso, ficava perto do Dundrum. Mesmo assim, não paguei nada pela consulta, apenas precisei comprar alguns remédios.

Após o atendimento, eles me ligaram para saber como foi, perguntaram se eu precisei fazer algum tratamento e se eu estava me sentindo melhor.

Para pedir o reembolso, eu tinha que juntar o comprovante do médico, a nota fiscal do remédio e enviar para o Brasil, junto a uma carta detalhando o que tinha acontecido comigo. Como o valor não era muito alto, optei por não ir atrás, mas o serviço foi oferecido.”

Gyorgia Lima — Seguro: Assist-Card

“Quando cheguei, minha garganta já inflamou. Como tenho faringite, fiquei mal. Fui à farmácia, me deram um spray, mas, após 3 dias, não passou.

Quando o nariz e a garganta começaram a sangrar, liguei para o Assist-Card. No outro dia de manhã, já marcaram um médico numa clínica perto de onde estou.

Precisei assinar um encaminhando da seguradora e fui atendida. Não cobraram nada, e o médico me atendeu muito bem.”

Vinicius Teixeira — Seguro: Cori

“Meu siso inflamou e eu liguei para a central da seguradora no Brasil. Logo eles marcaram a consulta e me ligaram de Londres para avisar o lugar e outros detalhes. Não fui cobrado por nada e recebi uma receita de remédios para tomar.”

Vantagens de adquirir o seguro

Seguro-viagem pode ser adquirido online. Foto: Igor Stevanovic | Dreamstime

Já sabemos que viajar apenas com o seguro governamental não é problema algum. Contudo, seja para se prevenir, seja para aqueles que têm problemas de saúde que exijam acompanhamento médico, o melhor é adquirir um seguro-saúde extra.

Para pessoas que já tenham algum quadro preexistente ou doença crônica, o melhor é avaliar qual seguro privado se encaixa dentro das suas necessidades.

Em caso de acompanhamento médico, o seguro extra pode ser um grande aliado no exterior, até porque os médicos podem receitar remédios que não são autorizados para venda sem prescrição.

Veja também

Como contratar um intercâmbio na Europa

Elizabeth Gonçalves
Elizabeth Gonçalves, Jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar