Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Trabalho

Trabalhe como cuidador(a) de idosos na Irlanda

Carol Braziel postou em 17 fev 2017

Entre a correria de se adaptar ao intercâmbio e a preocupação em conseguir trabalhar, muitos questionam sobre opções de emprego na área da saúde. Sendo assim, conversamos com alguns profissionais da área que trabalham na Irlanda, e apresentamos um pouco mais sobre a realidade do cuidador de idosos, também conhecido como Carer ou Health Care Assistant.

O cuidador auxilia o paciente idoso que apresente ou não limitações na vida cotidiana. Créditos: Pixabay.

O cuidador auxilia o paciente idoso que apresente ou não limitações na vida cotidiana. Créditos: Pixabay.

Atividades

O carer auxilia o paciente idoso que apresente ou não limitações na vida cotidiana, desempenhando atividades voltadas ao seu bem estar físico, mental e social, como por exemplo:

– Cuidar da higiene, banho, troca de fraudas (se necessário), troca de roupas, higiene dos dentes, sendo responsável também por averiguar se o paciente está com dificuldade na hora de ir ao banheiro;

– Cuidar da alimentação, sendo responsável também por averiguar se o paciente está com dificuldades para se alimentar;

– Comunicação, garantindo que o paciente esteja confortável.

Em documento publicado pela HIQA – Health Information Quality Authority – o National Standards for Safer Better Healthcare, são apresentados, entre outros, os atributos que o profissional deve ter, como, por exemplo, tratar seus pacientes com bondade, consideração e respeito e passar a ele e sua família as informações que precisam para a tomada de decisões. Mas é importante ter em mente que o carer precisa ter também paciência, pois muitos pacientes podem apresentar algum tipo de doença que impossibilite ou dificulte a comunicação, como alzheimer e demência, além de ter uma ótima disposição e comunicação. Afinal, não basta apenas observar os pacientes, é necessário interagir e aprender a se comunicar conforme a necessidade de cada um, mantendo os enfermeiros e médicos sempre atualizados sobre qualquer modificação no comportamento, o que muitas vezes pode acontecer de forma quase que invisível na correria do dia-a-dia.

Área de atuação

Asilos, hospitais e residências são alguns dos locais onde você pode atuar na área. Crédito: Shutterstock

Asilos, hospitais e residências são alguns dos locais onde você pode atuar na área. Crédito: Shutterstock

A área oferece muitas opções, sendo possível atuar em Home Care (casa da família), Nursing Homes (públicas ou privadas), Hospitais (públicos e privados) e Agências (onde você se cadastra e trabalha de acordo com sua disponibilidade, podendo ser em diferentes locais e horários). Para se manter atualizado das vagas, vale a pena se cadastrar nos sites responsáveis, acessar as redes sociais e também entregar currículos pessoalmente. A faixa salarial do profissional, segundo a agência de pesquisa PayScale, varia entre € 9.25 e € 15/hora, tendo como média €10,60/hora.

Qualificação

Há alguns anos, após alterações na regulamentação do setor da saúde na Irlanda, passou a ser exigido pelo órgão responsável por monitorar os serviços de saúde na Irlanda (o HIQA – Health Information Quality Authority) que os cuidadores de idosos se qualificassem através de cursos voltados para a área e com a qualificação FETAC – Further Education and Training Awards Council – Nível 5. É claro que, assim como em qualquer lugar do mundo, mesmo com a regulamentação existem empresas e famílias que contratam sem solicitar a qualificação – mas fique atento, pois você estará em desvantagem no mercado se não o tiver.

Curso

O curso, que tem como foco instruir cuidadores familiares (family carers), assistentes ou qualquer pessoa que pretenda exercer uma carreira no setor de assistência, é composto por módulos, sendo possível que o profissional consiga emprego após concluir apenas alguns desses módulos. Tudo dependerá de qual caminho escolher seguir na área.  O período e tempo de cada curso também dependerão da quantidade de módulos que você optar fazer e a disponibilidade que terá para assistir as aulas. Mas lembre-se que é necessário o mínimo de proficiência em inglês, pois precisará compreender toda a matéria dada.

Conheça algumas histórias…

Geni Amaral, 39 anos, mora há 13 anos na Irlanda, atualmente em Naas, Co. Kildare.

“Trabalhar como carer me fez descobrir um lado meu que desconhecia. O lado bom é que passamos a respeitar ainda mais os idosos, a ter mais paciência. É a chance que temos de ver o nosso amanhã, porque em um asilo com 80 idosos ficamos imaginando com qual deles iremos nos parecer no futuro. O lado ruim, é que você acaba se apegando muito e quando eles se vão é um sofrimento que você terá que aprender a administrar. A minha dica é: faça um curso profissionalizante, procure o FETAC e veja qual você área você quer, seja saúde, beleza etc… É um retorno imediato, pois as chances de contratação são grandes. Não venha pra cá apenas com seu diploma do Brasil e um “the book is on the table” e ache que será contratado por uma multinacional de cara. É preciso se preparar”.

Geni Amaral. Créditos: Arquivo pessoal.

Geni Amaral. Créditos: Arquivo pessoal.

Ana Maria Dias Doyle, 28 anos e há 7 anos na Ilha.

“Se você é comunicativo, paciente e atencioso e detalhista, recomendo que faça o curso e invista no trabalho na área. É muito gratificante. Cheguei na Ilha em janeiro de 2009 e como não tinha nenhum inglês, trabalhei como Aupair por 1 ano e meio. Passado os primeiros 6 meses eu já sabia que a Irlanda tinha algo a mais para oferecer e eu para descobrir. Foi então que comecei a pesquisar sobre trabalhar como enfermeira e iniciei o tão demorado e trabalhoso processo, onde fui  informada que eu precisaria de uma proficiência em inglês, que eu ainda não tinha. Como opção, por exigir um inglês mais intermediário, descobri o trabalho de cuidadora (health care assistant). Como eu teria que renovar meu visto de qualquer forma, decidi fazer o curso FETAC nível 5* em Nursing Studies, o que me ajudaria muito com o vocabulário na área e me daria a qualificação irlandesa necessária para trabalhar como cuidadora. Em Julho de 2010 consegui meu emprego de cuidadora em uma Nursing Home voltada para o cuidado de idosos com demência. Foram anos de muito crescimento. Comecei com um salário de 10.45 euros/hora. Aprendi muito sobre o sistema de saúde na Irlanda e, principalmente, sobre o cuidado com idosos e os tipos de demências em si, o que no Brasil, quando eu estava na faculdade, era pouco aprofundado. Cresci muito como profissional e principalmente como pessoa. Atualmente, consegui meu registro como enfermeira e trabalho na área. Continuo aprendendo muito e estou muito feliz, com muitos planos para o futuro!”.

*Atenção! Os cursos do FETAC não fazem mais parte do ILEP e não valem mais para a aplicação ao visto de estudante para não-europeus.

Ana Maria. Créditos: Acervo pessoal.

Ana Maria. Créditos: Acervo pessoal.

Rodrigo Barbosa, 37 anos e há 7 meses na Irlanda.

“Eu trabalhava de cleaner quando um amigo me indicou para uma vaga como cuidador, pois ele tinha arrumado um emprego na área dele. Mandei o currículo e me chamaram para uma entrevista. Perguntaram minha experiência com limpeza e questionaram alguns pontos do meu currículo. Depois de uma semana me avisaram que fui aprovado. Os requisitos eram força de vontade e alguma experiência com limpeza. Não solicitaram curso e nem experiência prévia. Trabalhar lá foi uma experiência muito legal pra mim. Limpava os quartos dos idosos, conversava com eles e o mais legal era a união dos funcionários que trabalhavam comigo. Apesar de ter sido um trabalho que não tem nada a ver com a minha área, sinto falta daquele ambiente”.

Rodrigo e a esposa Claudia Matsumoto. Créditos: Arquivo pessoal.

Rodrigo e a esposa Claudia Matsumoto. Créditos: Arquivo pessoal.

Revisado por Tarcisio Junior

Sobre o Autor


Carolina Braziel é formada em Relações Públicas e pós-graduada em MKT pela ESPM|Brasil. Com mais de seis anos de experiência em MKT, decidiu vivenciar o sonho de morar na Europa, mais precisamente na terra dos Leprechauns. Apaixonada incurável por viagens, tem como vício a leitura e pesquisa sobre destinos, curiosidades e roteiros de viagens pelo mundo.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Baladas e Pubs

Os melhores pubs para visitar na cidade de Belfast

3 horas atrás, por Colaborador E-Dublin
Trabalho

Taxa de desemprego na zona do Euro é a menor desde 2009

16 horas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Publicidade

Mude sua Vida em 2018

4 dias atrás, por Publicidade E-Dublin
Dicas de Viagem

5 destinos para curtir neve na Europa

1 semana atrás, por Elizabeth Gonçalves
Publicidade

Seu intercâmbio na Irlanda de cara nova

2 semanas atrás, por Publicidade E-Dublin
Saúde

Hospitais irlandeses aumentam taxa de atendimento emergencial

2 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Essenciais

P60 e reembolso do imposto de renda na Irlanda

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Curiosidades

Trinity College: a Universidade mais antiga da Irlanda

3 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Irlanda

Conheça Waterford, a cidade mais antiga da Irlanda

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Meu Intercâmbio

A saudade é algo que persiste no intercâmbio

1 mês atrás, por Colaborador E-Dublin
Cultura

Você já ouviu falar no Workaway?

1 mês atrás, por Elizabeth Gonçalves
Dicas de Viagem

Saiba como viajar barato para os Estados Unidos

1 mês atrás, por Elizabeth Gonçalves
Eventos e Festivais

5 mercados de Natal imperdíveis na Irlanda

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Galway

É possível juntar dinheiro durante o Intercâmbio?

2 meses atrás, por Alessandra Karla Leite