Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Irlanda

Transporte público: diferenças entre Brasil e Irlanda

Colaborador E-Dublin postou em 13 nov 2014

A beira de mais um aumento no sistema de transporte público irlandês, muitos brasileiros intercambistas devem se perguntar: como será o transporte na Ilha Esmeralda? É realmente caro como dizem por ai? Para responder algumas dessas perguntas, convidamos o intercambista Felipe Franco para contar e comparar o sistema irlandês com o brasileiro!

Por Felipe Franco

Comparar a qualidade do serviço público oferecido aqui na Irlanda com o que é oferecido no Brasil é um dos assuntos preferidos entre intercambistas, que quando se reúnem em rodas de conversa costumam lembrar do tópico “transporte coletivo”. O fato é que confrontar cidades de diferentes países é sempre uma missão complicada. O tamanho da população, o próprio sistema de transporte e a situação econômica certamente influenciam no resultado final do serviço oferecido ao passageiro.

Diferenças à parte, a realidade é que sempre precisamos nos deslocar diariamente para chegar aos nossos destinos o mais rápido possível, mas que esperamos que isso ocorra sempre com segurança e que o preço cobrado seja justo.

 Foto: Elizabeth Gonçalves

Crédito: Elizabeth Gonçalves

Como somos milhares de brasileiros com um ritmo de vida muito parecido com relação ao uso do transporte público em Dublin (casa-trabalho-escola), apontar algumas diferenças entre os dois países não será tarefa difícil. Aviso que este texto não trará nenhum estudo técnico, mas avaliações de brasileiros que usavam o sistema no Brasil e atualmente fazem uso do sistema de Dublin.

Em Passo Fundo que possui 190 mil habitantes, o único transporte público de que dispomos é o ônibus, que custa R$2,60 para qualquer destino. Em Dublin o valor é definido conforme a distância percorrida. A vantagem é que estudante paga metade do preço da passagem.

Por outro lado, não há dinheiro que pague a falta de segurança durante as viagens. No Brasil, ocorrências envolvendo assaltos aos coletivos urbanos são registradas praticamente todos os dias da semana, enquanto em Dublin podemos circular sem nos preocuparmos com isso. Mas aí já entramos no terreno da segurança pública, que é outro problema sério.

Para mim, que ainda não tive uma arma apontada para a cabeça dentro do ônibus, a superlotação permanece sendo a pior parte.

Já o paulistano, André Fonseca, destaca o tempo de duração das suas viagens em Dublin como a grande vantagem. Segundo ele, por aqui o seu percurso diário de 20 km até o trabalho leva menos de 1 hora, enquanto no Brasil a mesma jornada não duraria menos de 3 horas, isso de ônibus.

A superlotação também é uma grande diferença para ele, que diz que “pegar ônibus lotado logo pela manhã no Brasil é uma tristeza, sem contar o cheiro ruim.”

2

Raíssa apontou preço e desconforto como pontos negativos do serviço em Salvador. Arquivo Pessoal

A baiana, Raíssa Araújo, vive há seis meses na Irlanda e conta que em Salvador não existe metrô e o trem existente só atende uma parte da cidade, além de ser velho e sujo. Quanto à qualidade do serviço de ônibus em sua terra natal, ela aponta pontos negativos como preço alto e desconforto. “Já presenciei pessoas passando mal por conta do abafamento”, lembra.

Raíssa não esconde o descontentamento e segue enumerando os problemas do serviço oferecido à população. “Nunca sabemos o horário que o ônibus vai passar e, quando passa, muitas vezes o motorista simplesmente não para. Numa cidade onde a única opção é o ônibus, deveria existir um pouco mais de respeito com os cidadãos”, desabafa.

A pontualidade dos ônibus em Dublin é a principal vantagem para ela.

1

Mara Cecílio compara o transporte de Porto Alegre com o de Dublin. Arquivo Pessoal

Sobre o funcionamento do transporte em Porto Alegre, conversamos com Mara Cecílio, que reside na Irlanda há dois anos e meio.

A gaúcha vê como uma das grandes vantagens em Dublin a frequência das linhas que reduz o tempo de espera entre um e outro, tanto entre ônibus, Dart e Luas. Garante que em 99% dos casos o passageiro viaja sentado, sem superlotação, sem empurra-empurra.

Como desvantagem, Mara considera o horário de circulação do transporte em Dublin. “Os ônibus param de circular cedo e a maioria das linhas não possui o serviço nightbus. O mesmo ocorre com o Dart e com o Luas.”  Ela conta que já precisou pegar táxi não só para a volta da balada como também em função do trabalho, justamente pela ausência do transporte público nesses horários da madrugada.

Enfim, o Brasil, por ser um país de grande extensão, acaba oferecendo um serviço público de qualidade distinta entre as diferentes regiões, mas também nos dá a certeza de que ele não é satisfatório em lugar algum.

Para conhecer as novas tarifas que passam a vigorar em dezembro/2014 é só acessar  aqui.

Este texto foi revisado por Camilla Gómez em Outubro/2014.

Sobre o Autor


Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do colaborador do E-Dublin e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Quer ver sua matéria no E-Dublin ou ficou interessado em colaborar? Envie sua matéria por aqui!

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Transporte

Student Leap Card: Você já adquiriu o seu?

3 semanas atrás, por Deby Pimentel
Serviços

Saiba o que funciona ou não neste fim de ano em Dublin

1 mês atrás, por Elizabeth Gonçalves
Dublin

Dublin é uma cidade acessível para deficientes?

2 meses atrás, por Elizabeth Gonçalves
Cultura

10 coisas que você não pode ir embora da Irlanda sem fazer

10 meses atrás, por Colaborador E-Dublin
Top 5

Cinco coisas para sentir saudades da Irlanda

1 ano atrás, por Elizabeth Gonçalves
Dicas de Viagem

Quatro formas de se locomover em Cork

1 ano atrás, por Carol Braziel
E-Dublin News

Rickshaws podem ser banidos em Dublin

1 ano atrás, por Ávany França
Transporte

Já conhece o projeto Cycle to work?

1 ano atrás, por Elizabeth Gonçalves