Tudo o que você precisa saber sobre o COVID-19 na Irlanda

Tudo o que você precisa saber sobre o COVID-19 na Irlanda

Elizabeth Gonçalves

5 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Até o fechamento desta matéria, 129 pessoas foram diagnosticadas com o Coronavírus na Irlanda, com a confirmação de duas mortes. De acordo com a rede de televisão RTE, seis desses casos consistem em pessoas muito doentes e que estão recebendo tratamento hospitalar intensivo. Na Irlanda do Norte, até o momento há 29 casos de pessoas infectadas com o vírus.

Diante da situação atual, nós reunimos nesse post o máximo de informações disponíveis sobre o Covid-19 na Irlanda. Confira:

Medidas do governo irlandês

Primeiro-ministro irlandês anunciou fechamento de escolas e órgãos públicos esta semana. Foto: The Sun

Após a OMS (Organização Mundial de Saúde) oficializar a doença como uma pandemia, o governo irlandês anunciou na última quinta-feira o fechamento de escolas, creches, universidades e estabelecimentos públicos pelo período de duas semanas. A medida tem como objetivo evitar ao máximo a possibilidade de contaminação em massa.

O chefe do governo irlandês afirmou que eventos fechados com mais de 100 pessoas e abertos com mais de 500 devem ser cancelados. Pessoas que têm a oportunidade de trabalhar em casa, devem fazê-lo.

O primeiro-ministro, no entanto, disse que o transporte público continuará a operar normalmente, além de lojas, supermercados, cafés e restaurantes, mas recomendou que as pessoas minimizem a interação social. Os serviços para imigrantes e aeroportos também funcionam normalmente no país.

Cancelamento de eventos

Após o cancelamento da parada do Dia de São Patrício em todo o país, todo o festival de comemoração da data, que aconteceria durante este final se semana, foi cancelado.

Em Dublin, todas as bibliotecas municipais, centros esportivos, de lazer e comunitários, administrados pelo Conselho da Cidade de Dublin, ficarão fechados até o dia 29 ou até segunda ordem.

A medida também se estende a todos os museus e centros culturais públicos do país, como a National Gallery, o Irish Museum of Modern Art, a Hugh Lane Gallery, o Zoológico, entre outros.

Ainda não há uma determinação de fechamento a estabelecimentos privados. Entretanto, as redes de academias Bem Dunne e FlyeFit anunciaram o fechamento de todas as suas unidades até 29 e 30 de março, respectivamente.

Alguns shows e baladas brasileiras que aconteceriam neste fim de semana ou no mês de março já anunciaram adiamento ou cancelamento. A festa Gambiarra, marcada para este sábado, foi adiada para abril. A banda Jota Quest, que faria show em Dublin no dia 26 de março, anunciou o cancelamento da turnê europeia.

A Igreja Católica irlandesa afirmou que a participação em serviços funerários deve ser limitada a parentes próximos e não deve exceder 100 participantes dentro do edifício da igreja. O mesmo vale para casamentos e batismos.

A Igreja também adiou a realização de primeiras-comunhões e anunciou o cancelamento de missas em todo o país. Entretanto, as igrejas permanecerão abertas e as pessoas estão livres para frequentá-las para realizar orações.

Prateleiras vazias

O recente anúncio do governo irlandês sobre o cancelamento de aulas e fechamento de espaços públicos levou uma parcela da população ao pânico. Consequentemente, itens básicos como papel higiênico, molho de tomate, pães, massas, produtos de limpeza, etc., simplesmente desapareceram das prateleiras dos supermercados em minutos.

Prateleiras de supermercados irlandeses ficaram vazias essa semana. Foto: Natália Dinamarca

Em contrapartida, as redes de supermercados têm alertado que não há motivos para desespero e a necessidade de estocar alimentos, já que as lojas permanecerão abertas e devem ser reabastecidas normalmente.

Apesar do aumento significativo na demanda por parte dos compradores, a rede se supermercados Lidl, por exemplo, disse que sua cadeia de logística e suprimento garantirá que suas prateleiras de supermercados permaneçam estocadas.

Diante desse cenário, o governo tem alertado às pessoas que não há necessidade de entrar em pânico e que comprar em excesso pode criar dificuldades para outras pessoas que realmente precisam desses produtos.

Impacto na economia

Enquanto os supermercados estão experimentando um forte aumento na demanda, o setor de varejo diz estar preocupado com a queda nos negócios em certos setores.

A Retail Ireland está pedindo ao governo que forneça apoio de emergência a empresas que possam ter que reduzir horas ou fechar nas próximas semanas ou meses, já que o número de compradores tem caído significativamente durante os últimos dias.

Os varejistas dizem que querem que os clientes continuem usando e comprando seus serviços, e o façam de maneira responsável, cumprindo as recomendações atuais fornecidas pelo departamento nacional de saúde, HSE.

O setor de bares, cafés e restaurantes também vêm sofrendo com mesas vazias e cancelamentos de reservas durante o surto do vírus, já que as pessoas têm evitado frequentar esses ambientes.

O Primeiro-Ministro Leo Varadkar disse essa semana que a economia irlandesa sofrerá, mas se recuperará, referindo-se ao inevitável impacto negativo que o Covid-19 terá na economia da Irlanda.

Pessoas retornando de viagens para países como Espanha ou Itália

Governo pede que pessoas tomem cuidado ao viajar para outros países. Foto: RTE

O Ministro da Saúde irlandês, Simon Harris, tem recomendado as pessoas que estão retornando de viagens a áreas afetadas, como Espanha e Itália a restringir seus movimentos durante as próximas duas semanas. Isso inclui não ir ao trabalho e evitar interações sociais.

A Espanha confirmou mais de 1.500 novos casos de coronavírus, elevando seu total para 5.753 casos, o segundo maior número na Europa depois da Itália.

De acordo com o ministro da saúde, essa é uma medida de precaução e a recomendação será atualizada de acordo com o nível de contágio do Covid-19.

Além disso o governo irlandês tem advertido a população a ter muito cuidado ao decidir viajar para qualquer outro país europeu.

Europa é o novo epicentro do Coronavírus

A OMS anunciou que a Europa é o novo epicentro da pandemia global do Coronavírus e tem reportado um crescimento maior no número de casos diários do que a China durante o ápice do surto.

De acordo com Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da OMS, qualquer país que olha para outro país com grandes epidemias e pense ‘isso não vai acontecer conosco’ está cometendo um grande erro, já que isso pode acontecer com qualquer país. Assim, a recomendação da OMS é que os países devem adotar uma abordagem abrangente contra o vírus, fazendo tudo o que for possível para evitar que ele se espalhe.

Medidas de precaução

Isolamento e medidas de higiene podem conter a proliferação do vírus. Foto: Milos Petrovic | Dreamstime

O Covid-19 é espalhado através de gotículas causadas por espirros ou tosse, ou tocando em uma superfície em que alguém espirra ou tosse dentro de um determinado período de tempo. Não pode passar pela sua pele e acredita-se que seja improvável que esteja no ar.

Pode levar até 14 dias para os sintomas aparecerem.

As melhores maneiras de proteger a si e aos outros do vírus são lavar as mãos de maneira adequada e frequente, cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel ou a manga da sua blusa ao tossir e espirrar, lavar bem as mãos e evitar tocar o nariz ou olhos.

Os sintomas do Covid-19 incluem:

  • Tosse
  • Falta de ar
  • Febre
  • Dificuldades respiratórias.

De acordo com o HSE, outros sintomas incluem fadiga, dores de cabeça, dor de garganta e corpo dolorido. Ainda de acordo com o órgão, estima-se que para contrair o vírus é necessário passar mais de 15 minutos em contato direto ou a 2 metros de uma pessoa infectada.

Alguns centros comerciais têm adotado medidas para evitar o contato entre pessoas, entre elas está não aceitar transações em dinheiro, apenas cartão. Diante disso o banco AIB suspendeu a taxa sob transações contactless durante o surto do vírus.

Com creches e escolas fechadas, o governo tem reforçado que este não é um período de férias escolares, e sim um momento de reclusão. Dessa forma, pais devem evitar playgrounds e áreas com grande movimento.

Além disso, deve-se tomar cuidado com pessoas com mais de 60 anos, já que este grupo está vulnerável a infecções mais graves causadas pelo Covid-19 e crianças podem ser grandes transmissoras do vírus.

Pessoas com doenças cardíacas, problemas pulmonares, pressão alta, diabetes, câncer ou gestantes também integram o grupo de risco.

Também vale ressaltar que não há evidência de que animais domésticos como cachorros e gatos possam contrair ou disseminar o vírus.

Como proceder caso você apresente sintomas

Fique atento aos sintomas do Covid-19. Imagem: HSE

Ao apresentar os sintomas de Coronavírus, a primeira medida a ser tomada é se isolar. Em seguida, entre em contato com o seu clínico geral, aqui chamado de GP. O seu médico vai analisar os seus sintomas por telefone e decidir se você precisa ou não ser testado para o vírus. Caso isso seja necessário, seu médico tomará as medidas necessárias e organizará o teste para você.

Ressaltamos que, caso apresente os sintomas, é importante não ir ao consultório médico, hospital ou farmácia, já que assim você pode contribuir para o contágio de outras pessoas.

O sistema de saúde irlandês

O HSE, departamento de saúde irlandês anunciou que está trabalhando em aumentar a capacidade do serviço de saúde nesse momento.

De acordo com o órgão, várias medidas estão em andamento, entre elas aumentar o fornecimento de leitos adicionais em hospitais e o aumento do investimento nas unidades de tratamento intensivo.

O HSE está adquirindo mais máquinas de ventilação e diálise, juntamente a equipamentos portáteis de radiografia.

Ao redor do mundo

Segundo atualizações em tempo real do portal Wordometer, atualmente há 148.051 casos de pessoas infectadas pelo Covid-19 ao redor do mundo. Havendo um total de 5544 mortes e 72.572 casos de pessoas que se recuperaram da doença.

Diante desse cenário e do anúncio de pandemia do vírus realizado pela OMS essa semana, governos ao redor do mundo têm tomado medidas para conter a disseminação do vírus.

Os Estados Unidos, por exemplo, suspenderam todos os voos de e para os países que integram o Espaço de Schengen. Classes, eventos esportivos, concertos e conferências foram cancelados em todo o país e os mercados financeiros estão em colapso. De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, existem 1.663 casos confirmados de Covid-19 nos EUA.

A Itália ordenou o fechamento de todas as lojas, exceto farmácias e lojas de alimentos, em um movimento que esvaziou locais turísticos mundialmente famosos em Roma, Veneza e Florença.

A Itália não é o único país a tomar medidas sem precedentes. A Eslováquia e a República Tcheca também proibiram os viajantes de vários países.

Outros países da região se prepararam para o pior, incluindo o Reino Unido, que disse que o número real de casos em seu solo poderia chegar a 10.000 — ele tem 590 casos confirmados.

No Brasil, o Ministério da Saúde confirmou 98 casos do Coronavírus no país. Diante disso, a Prefeitura de São Paulo determinou na tarde da última sexta-feira, 13 de março, o cancelamento de todos os eventos públicos com grandes aglomerações de público na cidade.

O Ministério da Saúde também recomenda que viajantes internacionais fiquem em casa por 7 dias ao chegar ao Brasil. Enquanto pessoas com sintomas devem ficar em isolamento domiciliar por até 14 dias.

10 motivos para não entrar em pânico

Cientistas ao redor do mundo estão buscando cura para o vírus. Foto: RTE

Nós publicamos esta semana um texto do catedrático de Microbiologia da Universidade de Navarra, Ignacio López-Goñi, mostrando 10 motivos para não ter pânico a respeito do Covid-19. Ele traz uma certa esperança sobre o futuro do vírus. Seu texto tem viralizado por todo o mundo, inclusive sendo republicado na mídia. Conheça um resumo desses dez motivos:

1- Nós sabemos o que é: ao contrário de outras doenças cuja identificação levou meses ou anos, o Covid-19 foi identificado em 7 de janeiro, uma semana após os primeiros relatos.

2- Sabemos como detectar o vírus: o teste de detecção está disponível desde 13 de janeiro.

3- Melhora da situação na China: há várias semanas o número de casos diagnosticados diariamente no país vem diminuindo.

4- 80% dos casos são leves.

5- As pessoas estão se recuperando: a maioria das pessoas infectadas é curada.

6- Os sintomas são leves em crianças que podem passar despercebidos. Além disso, o índice de mortalidade em pessoas com menos de 40 anos é de 0,2%.

7- O vírus pode ser aniquilado: a limpeza de superfícies com uma solução de etanol, peróxido de hidrogênio ou hipoclorito de sódio pode matar o vírus em apenas um minuto. A lavagem frequente das mãos com água e sabão é a maneira mais eficaz de evitar o contágio.

8- A ciência está presente globalmente: cooperações científicas internacionais estão em andamento para viabilizar possibilidades de tratamento, vacinas, diagnósticos, etc.

9- Existem protótipos de vacinas: atualmente existem 8 projetos de vacinas em andamento para combater o vírus.

10- Há ensaios antivirais em andamento: atualmente existem mais de 80 ensaios clínicos analisando tratamentos com coronavírus.

Veja também

Tudo sobre o sistema de saúde na Irlanda

Elizabeth Gonçalves
Elizabeth Gonçalves, Jornalista viciada em cinema, música e literatura. Paulistana, se apaixonou por Dublin, onde mora há cinco anos e sonha em fazer uma viagem de volta ao mundo.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar