Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Meu Intercâmbio

Viajantes com mais de 30 aquecem o mercado de intercâmbio

Caroline Rodrigues postou em 30 ago 2016

Crédito: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Descobri que não estou sozinha no mundo depois que li uma matéria sobre o mercado de viagens internacionais, que foi aquecido, apesar da crise, pelos intercambistas mais adultos, que buscam unir aprendizado e passeio. Achei as informações interessantes, as cruzei com outros artigos especializados sobre o assunto e posso afirmar com clareza: os trintões estão com a bola toda.

Quem são os trintões do intercâmbio?

O perfil mais comum deste tipo de viagem, é composto por pessoas geralmente em ascensão social ou que ocupam colocações nas quais o domínio de uma língua estrangeira é fundamental. Como o acesso aos programas de intercâmbio também se popularizou, muitos integrantes deste público são de classe média e planejam de forma criteriosa a sua viagem.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Preparados para os erros

Além desta matéria, li alguns artigos sobre os principais erros de quem vai para um intercâmbio e concluí que os “vacilos” podem ser evitados com muito mais maestria por quem tem mais experiência de vida. O erro mais comum é não ter um objetivo claro, o que é mais difícil acontecer com quem tem quase ou mais de 30. Como pagamos pelo investimento na maior parte das vezes, somos os primeiros a cobrar resultados. Queremos que cada minuto e cada centavo sejam bem aproveitados.

Outra queixa comum é a falta de casa, dos amigos, famílias e, principalmente, das regalias, contudo, essas situações já foram enfrentadas por grande parte dos adultos em outras fases da vida. Quem nunca precisou estudar fora, nem que seja por um curto período? Teve que dividir uma república na época da faculdade? Ou fazer viagens a trabalho e/ou lazer sozinho?

Planejamento financeiro

Gastar sem medida ou perder noites a fio nos bares, deixando de lado o objetivo principal da viagem, são situações muito mais raras para quem entra adulto em um programa de intercâmbio. Então, a probabilidade de se perder nas contas é baixa (pelo menos espero).

Crédito: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Não desista por causa da crise

Sei que a situação econômica está difícil, mas nada que um bom planejamento não possa enfrentar. Outra pesquisa disponibilizada pela Belta, nos mostra que na última década, o número de brasileiros que fez algum tipo de curso no exterior aumentou 600%, passando de 34 mil para 202 mil. E caso ainda não tenha escolhido o destino, existe um ranking dos países mais escolhidos, que começa com Canadá, seguido de Estados Unidos, Austrália, Irlanda, Reino Unido, Nova Zelândia, África do Sul, França e Espanha.

Escolha um, planeje-se bem e siga em frente!

Print

Revisado por Tarcísio Junior
Imagens via Shutterstock
Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Caroline Rodrigues estudou Jornalismo na Universidade Federal de Mato Grosso e trabalhava em Cuiabá, onde perambulou por vários veículos de comunicação e assessorias de imprensa por 13 anos. Depois de tomar um café e conversar com amigos, achou que estava engaiolada e resolveu encarar um intercâmbio depois dos 30.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio


Recentes e populares

Voluntariado

Voluntariado pelo mundo

2 semanas atrás, por Andre Luis Cia
Trabalho

5 sites para procurar vagas de marketing na Irlanda

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Agenda Cultural

15 eventos para você aproveitar na Irlanda em outubro

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Ensino Superior

Quais são as melhores universidades irlandesas?

4 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves