Este site usa cookies para melhorar a experiência do usuário. Ao utilizar o nosso site você concorda com todos os cookies de acordo com nossa Política de cookies/privacidade. Concordo
Cultura

Você sabia que o divórcio na Irlanda era ilegal?

Júlia Paniz postou em 25 nov 2016

O E-Dublin hoje fala sobre um assunto que já foi muito polêmico na Ilha Esmeralda: o divórcio. Mas para entender melhor esse assunto, precisamos voltar um pouco no passado!

shutterstock_292069334

Foto: Shutterstock

O país, que já foi cenário de conflitos religiosos seculares, ainda era contrário à legalidade da separação até pouco tempo atrás. As disputas religiosas começaram a ser registradas desde o século 10, quando São Patrício, considerado padroeiro da Irlanda, iniciou a cristianização da hoje conhecida República Irlandesa.

Após muito tempo de conflitos, novos partidos políticos e até mesmo a execução de grandes líderes irlandeses, em 1919, Eamon de Valera, um dos responsáveis pela revolta, fundou o Exército Repúblicano Irlandês, o IRA, dedicado à luta pela independência do país. Dois anos mais tarde, Londres e Irlanda assinavam um acordo para a divisão de territórios, fazendo com que o Norte da Ilha permanecesse aliado aos britânicos e o resto do país, com grande presença da religião católica, ganhasse mais independência.

A Constituição, que entrou em vigor em 29 de dezembro de 1937, é um grande marco dos anseios de Eamon de Valera, na época líder parlamentar em Dublin. O objetivo era tornar a Irlanda um país agrário e católico, com um estilo de vida pautado pela Bíblia. Esta Constituição, aprovada por um plebiscito, teve, entre suas características, a proibição do divórcio. De Valera, entretanto, evitou o estreitamento entre o país e Inglaterra e não aceitava a inclusão da Irlanda do Norte no Reino Unido. Apenas em 1949 foi proclamada a República da Irlanda, que passou a melhorar suas relações com o Reino Unido na década de 1960 e a ser parte da União Europeia a partir de 1973.

No ano de 1986, uma proposta para eliminar a proibição constitucional do divórcio foi submetida a um referendo, porém, a proposta foi rejeitada. Apenas no ano de 1995, uma emenda removeu a proibição constitucional, mantendo algumas restrições, como a necessidade do casal estar separado por pelo menos quatro anos para requerer o divórcio legal. Apesar de legalizar a separação, a Irlanda ainda possui o segundo menor índice de divórcio da União Europeia.

De acordo com o portal de notícias da Irish Central, um dos motivos que leva os casais a evitarem o divórcio pode estar relacionado com a crise imobiliária, desemprego e cortes salariais, já que tudo isso dificulta a vida independente dos irlandeses, fazendo com que a decisão seja muito bem pensada antes de efetivar o divórcio.

Encontrou algum erro ou quer nos comunicar uma informação?
Envie uma mensagem para [email protected]

Sobre o Autor


Repórter e colaboradora do E-Dublin, tem 24 anos e é formada em Jornalismo desde 2012. Trabalhou com assessoria de imprensa, mídias sociais e telejornalismo. Saiu de Blumenau, Santa Catarina, para estudar inglês em Dublin, na Irlanda, mas descobriu que aprenderia muito mais que apenas um novo idioma. É apaixonada por fotografia, livros, viagens e novas culturas.

Veja todos meus outros Posts

Orçamento Fácil

Preencha um formulário e receba orçamento de escolas e agências

Comece agora

E-Dublin: Tudo sobre Intercâmbio

Recentes e populares

Economia

Governo anuncia aumento do salário mínimo na Irlanda

17 horas atrás, por Elizabeth Gonçalves
Irlanda

4 aplicativos de paquera que bombam na Irlanda

2 dias atrás, por Elizabeth Gonçalves
Economia

Cash Back: você sabe como isso funciona?

6 dias atrás, por Elizabeth Gonçalves
Meu Intercâmbio

Correr atrás de sonho também dói

2 semanas atrás, por Colaborador E-Dublin
Irlanda

5 caminhadas perfeitas para um dia de verão em Dublin

3 semanas atrás, por Elizabeth Gonçalves